domingo, 27 de junho de 2010

Bem-aventurança

Escrito por Dante Alighieri





Pedro Hispano




Eu sou a alma de Boaventura de Bagnoregio
que, no exercício dos mais altos ofícios eclesiásticos,
pospôs sempre as coisas mundanas às espirituais.

Aqui estão Iluminato e Agostinho,
que foram dos primeiros descalços pobres, que
humilde cordão franciscano tornou amigos de Deus.

Vêm em seguida Hugo de S. Vítor
e Pedro Mangiadore e Pedro Hispano, cujo
espírito, na Terra, brilha nos seus doze livros;

o profeta Natan, e o metropolitano
Crisóstomo, e Anselmo, e o famoso Donato,
que, à primeira arte, se dignou pôr mão.

Rabano também está aqui, e ao meu lado brilha
o calavrês Abade Joaquim,
dotado de espírito profético. 

A celebrar um tão grande paladino, eu, Boaventura,
fui levado pela inflamada cortesia de S. Tomás,
que fez o elogio de S. Francisco;

e moveu comigo esta companhia de
bem-aventurados.

(Paraíso, in A Divina Comédia, Canto XII).



Nenhum comentário:

Postar um comentário